Website counter já leram.


Erotik

FADE IN:
Fundo preto, legenda:
"Anteriormente, na última temporada de Erotik..."

VIDEO DE ABERTURA
Música característica do Reality ao fundo enquanto cenas de todos os participantes transando entre si tomam a tela. Cada uma não dura mais de dois segundos, e os gemidos das mulheres são prolongados em eco.

EXT. POUPA DO NAVIO – DIA
MEGARA TIGER (26), apresentadora do Reality Show, casada com o dono da emissora.
Close na apresentadora com vista para o mar. Ela sorri aberto e fala com a câmera.

MEGARA
Na última temporada, seis pessoas completamente diferentes passaram um mês a bordo do cruzeiro Erotik, explorando seus limites sexuais e buscando seu parceiro ideal. Foi prometido a eles que o programa de computador mais apurado do mundo, o Match Maker Pro, tinha encontrado a combinação perfeita para cada um deles, e que essa pessoa também estaria no navio.
O Match Maker Pro compilou uma série de entrevistas realizadas por nossos psicólogos com os participantes, seus familiares e amigos, pesquisando em suas personalidades para combiná-los com seu par ideal. E assim que as combinações perfeitas são feitas, selecionamos nossos melhores candidatos para um mês quente a bordo do Erotik.

EXT. POUPA DO NAVIO – DIA
MEGARA caminha pelo barco, enquanto gesticula para a audiência. A câmera a acompanha.

MEGARA
Pela primeira vez nas sete edições do Erotik, todos os casais encontraram seu par ideal em um desfecho impressionante. Vamos conferir nossos melhores momentos?


INT. CABINE PESSOAL - NOITE
LAFAYETTE (25), bissexual chef de cozinha, e FONTAINE (32), político concorrendo ao Senado.
Os dois estão discutindo acaloradamente desde o jantar sem conseguir se entender. vai para sua cabine trocar de roupa quando um movimento brusco no meio do bate-boca provocou um acidente envolvendo vinho tinto e sua blusa. a segue, não querendo dar o assunto como encerrado sem provar seu ponto. Eles estão agora dentro da cabine privativa da mulher, ela encarando o armário decidindo por uma nova vestimenta e ele andando em círculos um pouco atrás, irritado.


Você não entende! Casamento é algo instituído pela igreja católica, como pode o governo se meter em algo religioso e obrigar a igreja a aceitar casamento gay?


Simples! Existe casamento só no papel, o civil, e o Estado pode se meter nisso, não tem nada a ver com o catolicismo.


E eles lá se contentariam com isso? Se os gays não querem uma grande cerimônia religiosa, para que querem se casar?


Para termos acesso à pensão, herança e todos os benefícios atrelados a essa união, que hoje nos são negados.

revira os olhos, desacreditada da necessidade daquela argumentação. Deixou bem claro no jantar que achava tudo aquilo óbvio e que só não via quem não queria. Ainda mais sendo bissexual, aquele assunto acabava cutucando sua personalidade, mas não importava a quantidade de vezes que tinha gritado aquilo na cara do politico, ele continuava se referindo aos gays como "eles" e não como "vocês".


Ah, claro, porque ter o título de separado ou viúvo perante o governo faz mesmo toda a diferença.


Não é uma questão de querer se prevenir se acontecer uma separação ou se o parceiro morrer. É uma questão de garantiria os mesmos direitos a pessoas com qualquer opção sexual. É, no mínimo, justo!


Mas você sabe muito bem que mexeria com a Instituição, e o Papa apoia nossa liderança.


Bem, e daí? Nós somos ou não somos um Estado laico?

está vermelho, e bufa como um touro. O jeito debochado da colega de Reality, tratando um assunto tão fundamental no cenário político atual como se fosse óbvio, lhe é enervante, e o fato de ela ter a blusa branca de botões colada nos seios fartos pela mancha púrpura é mais ainda.
Se tudo isso já não bastasse, ela fazia questão de se inserir no grupo afetado pela conversa que tinham, e só de imaginá-la com outra mulher se esfregando e gemendo... Não ajudava em nada a se concentrar na briga que, muito provavelmente, definiria se ele ia sair daquele Navio como membro da Casa do Senado ou como uma subcelebridade qualquer.


Você é impossível! As garras do cristianismo estão mais do que enfiadas no Senado, eu não posso simplesmente aprovar uma lei dessas sem ser discriminado e...


Você é um bundão. Se fez de liberal a campanha inteira, mas não tem um osso no corpo que não seja conservador.

arregala os olhos para as costas dela, como quem testemunha que sua audácia não conhece limites. sequer se preocupa com as reações que poderia estar causando nele, sempre disse o que bem entendia e não seria agora a hora de mudar. Suas feições deixam isso bem claro.


Tá dizendo que eu sou de Direita?


Você me ouviu.

está despreocupada fechando a porta do armário, dando a discussão como encerrada, quando a segura pelos ombros e pressiona seu corpo contra o móvel de madeira. Ela suspira, no susto, e o encara de perto, com o cenho franzido.


Você tem uma boca afiada demais.


Sonhando com a minha boca, Senador?


Imaginando o que mais ela pode fazer...

não dá tempo para a chef pensar, e logo choca seus lábios com uma fúria compatível a briga de segundos atrás. gostaria de não corresponder, mas discussões sempre a estimulavam, a deixavam pingando, e aquela não tinha sido diferente. Ela se arqueia para colar o corpo no dele, os seios espremidos contra o peito duro do político. Ele, por sua vez, agarra os cabelos da nuca dela e sua coxa, puxando-a contra o próprio quadril.
Apesar de terem princípios indubitavelmente adversos, a sincronia do amasso, o ritmo com o qual as bocas se abrem e as línguas se provam estar bem de acordo. Não demora a algo duro surgir entre eles, e menos ainda para que enlace as pernas ao seu redor e rebole contra a ereção de , a calcinha inquestionavelmente molhada.
Todas as cabines eram reguladas na mesma temperatura amena, mas aquela em especial parecia estar pegando fogo. puxa os cabelos do homem para trás com força, obrigando-o a parar de beijá-la e morder seu queixo e maxilar com força o suficiente para deixar a marca dos dentes. Ele solta um grunhido, irritado, e a puxa no colo até que estivesse jogada na cama. Levanta sua saia e tira a calcinha enquanto ela esperneia, rosnando de fúria, e então esta novamente em cima dela, os corpos encaixados.
Não importando a cena de ódio que protagonizavam, admite que queria o futuro Senador nu, e puxa sem cerimônias a camisa dele para fora da calça e para longe de seu tórax. Passeia as unhas afiadas ali, enquanto ele mesmo desataca o cinto e o zíper, liberando-se.
O membro ereto pairou entre eles um segundo, antes de agulhar a entrada da mulher e, em um segundo, estar inteiro dentro dela. O casal geme em conjunto, satisfeitos de direcionar toda a raiva para aquelas sensações.
começa a se mover, forte e bruto, e grita cada vez mais alto com suas investidas profundas. Eles se marcam, se punem, descontam o nervosismo e o stress a que o Reality os submete no corpo um do outro.
sobe a camiseta da chef, expondo seus seios cobertos pelo sutiã rendado. Ele puxa as taças para baixo e enfia um de cada vez na boca, mordendo sem dó os mamilos entumecidos, sem parar de meter com força. Ela estremece, em um grito rouco de alívio, e se permite gozar quente no pau do político. Ele mesmo não aguenta mais muito tempo, penetrando-a mais uma dezena de vezes em pausas estratégicas e derramando o leite em seu interior. Suga ainda uma última vez os lábios espertos da moça, se levanta, observando seu líquido escorrer por entre as coxas dela, e se veste.


Vamos ver quantos eleitores não vão me considerar um liberal depois disso, querida.

sorri ardida e tira de uma vez a blusa manchada e amarrotada, jogando na direção dele, que a segura no ar.


Lava essa merda, Senador, e eu considero votar em você também.

Trocando um riso cúmplice, ele se retira com a peça em mãos e ela fica ali, o corpo mole, curtindo os últimos espasmos de um orgasmo esquerdista.


INT. CABINE DO CAPITÃO - DIA
MULLER (23), dona de casa, e SARTRE (28), pai solteiro, estão se aproveitando da saída do Capitão para tomar café da manhã para se divertirem em sua cabine.


Então, quando a gente aperta esse botão...

A buzina do navio estoura ao redor e começa a bater palmas, animado. se curva como se estivesse em uma apresentação de teatro.


Sempre quis fazer...

aperta a buzina também e ela soa novamente pelo barco, abafando a risada que dá à expressão de felicidade infantil de .

VOZ AO FUNDO
Dá pra parar de apertar essa merda?

e se entreolham e caem na gargalhada juntos.


Essa é uma figura...

aperta o botão mais uma vez e a olha com repreensão quando eles ouvem o urro de raiva de ao final do barulho da buzina.


Eu não gosto muito dela.

dá de ombros e só ri. Ele a olha de cima a baixo e solta um suspiro ansioso. A tensão sexual é sentida no ar, mas nenhum dos dois parece querer dar o primeiro passo.


Sabe... Se a gente virar assim...

gira o timão um pouco e nada parece mudar no curso do transatlântico, até que ele começa, quase que imperceptivelmente, a seguir o seu comando.


Posso tentar?

Ela concorda com a cabeça, mas não se move, então se posiciona atrás da mulher e coloca ambas as mãos sobre as dela. fecha os olhos e respira fundo, empurrando sua bunda de encontro à pélvis do homem, que pressiona de volta, respondendo o carinho. Ela deixa a cabeça cair para um lado e os lábios dele logo estão em seu pescoço, subindo para a linha da mandíbula, onde ele crava os dentes.


Você é uma delícia de linda...

As mãos de deixam o timão e se posicionam firmes na cintura de e levantam sua saia de praia com leveza, até que sua bunda estivesse apenas coberta pelo biquíni pequeno e úmido que usava. Ela arfa, jogando a metade superior do corpo sobre o timão e empurrando a bunda contra ele, que faz a força contrária. rebola de forma provocante, fazendo soltar um gemido nervoso.


Eu estava com vontade de fazer isso com você o dia inteiro...

Após a confissão de , não se contém e solta as cordinhas que prendem o biquíni da mulher. Ela, ansiosa, leva uma de suas mãos até o short do homem e aperta sua ereção, ao que ele geme e morde seu pescoço, enquanto suas mãos exploram os glúteos recém descobertos dela. Ela puxa a bermuda dele para baixo, mas sem posição, o elástico escorrega apenas alguns centímetros. É o suficiente para grunhir de impaciência.


Então vamos resolver isso logo.

solta um gemido de antecipação e termina o intento da moça, abaixando seus shorts sem cerimônia. Logo, ele encaminha seu pênis para o vão entre as coxas de , que se empurra contra ele, fazendo com que a penetração seja rápida e profunda.
Os dois gemem sem pudor e as mãos de procuram os seios da mulher, se desfazendo dos triângulos do biquíni que os cobrem.


Isso, vai. Faz gostoso.

puxa uma das pernas de para si, deixando-a esticada reta na altura de seus quadris. Ambos tiveram que dar alguns passos para trás para que se ajustassem na nova e excitante posição. estava com apenas um pé no chão, curvada para frente e se mantendo firme com as mãos no timão, tendo segurando-a e apoiando-a com uma mão mantendo sua perna firme e a outra em seu ombro, mantendo-a curvada.


Vou meter gostoso em você... E você vai ter que ficar paradinha ou o barco vai pra puta que pariu.

apenas gemeu em resposta e mexeu o quadril, fazendo com que voltasse a estocar nela. Apesar de quase escorregar, a mantém firme, até que a mulher explode em um orgasmo antes que ele pudesse chegar ao próprio. O timão escorrega das mãos distraídas de e ela acaba tropeçando para frente, fazendo os dois tombarem no chão.
Ela ri, mas ao olhar para , o vê meio desesperado e com a ereção pulsante, não resolvida.


Você não...?

A questão não é necessária, pelo estado do homem e sua expressão sofredora, ela é respondida silenciosamente apenas com um acenar de cabeça. Ela sorri, meio condolente e se curva sobre ele, capturando seu pênis com a boca. Envolve a cabecinha e circula com a língua enquanto geme desesperadamente alto e perto.


Eu vou... Eu vou... Ah! Me engole!

O pedido, quase ordem, é realizado sem pudor quando finalmente chega ao seu alívio. o põe inteiro na boca e suga todo o seu gozo, enquanto ele revira os olhos e relaxa, encostando as costas no balcão do painel de controle do navio.


Acho que é possível que eu tenha tirado o barco da rota.

Ela ri, mas ainda está aéreo demais e apenas a puxa para que ela o beije e ele possa sentir o seu gosto em sua boca.


EXT. PISCINAS DO CONVÉS - FIM DE TARDE
CHEVALIER (28), CEO da Techmidia Inc., e RIVETT (29), ex-militar da Marinha.
Os dois caminham e conversam sobre disciplina no trabalho, expondo opiniões diferentes, porém mantendo um clima leve e agradável regado a risos e indiretas descaradas. acredita fielmente em um comportamento rígido e focado, enquanto não gosta de levar as coisas tão a sério.


Eu não concordo. Cheguei onde estou sem me prender a essa disciplina maluca. Acho que, quando a pessoa é realmente boa no que faz, não precisa se prender tanto às normas.


Você pode dar sorte e chegar a algum lugar, mas o que te mantém no poder é justamente ter controle sobre tudo, principalmente sobre você mesmo. Você tem que se disciplinar, tem que seguir as suas próprias regras. Caso contrário, porque seus empregados se submeteriam a regras que nem o chefe segue?


Meu chefe não seguia as regras.


E olha só a mulher rebelde que você se tornou.

ri e se debruça sobre a proa enquanto observa o sol, aos poucos, se pôr no horizonte marcado em mar infinito. a acompanha, mas não tira os olhos do perfil da mais nova, parecendo avaliá-la.


Acho que uma figura masculina mais firme poderia te fazer bem, te colocaria nos eixos.


Não preciso de alguém pra me domar.


Acho que é exatamente do que você precisa.


Eu não sei… Talvez não tenha conhecido ninguém rígido o suficiente. Concordamos em discordar?


Não. Isso é rígido o suficiente pra você?

pega uma das mãos de e leva de encontro com sua virilha, fechando os dedos da loira ao redor da sua ereção. Ela arfa, mas não faz menção de se afastar. Permanece encarando o mais velho com a boca aberta e olhos atentos, sem se importar com a brisa fria do entardecer que lhe embaraça os cabelos e arrepia a pele. Ele a observa, excitado, enquanto ela morde seu próprio lábio e o aperta levemente, estudando o volume em sua mão. Antes que ela possa acariciá-lo, no entanto, solta seu toque e começa a desafivelar seu cinto sem tirar seus olhos dela, abaixando as calças e deixando seu membro duro e pulsante à mostra.


Agora, eu quero que você fique de joelhos e me chupe.

parece relutante em obedecer a princípio, se esforçando a manter a pose de mulher que não recebe ordens. Mas basta uma olhada em direção ao membro de , pronto para ser abocanhado, para ela lamber a boca e deixar claro que aquela não era uma tarefa que ela gostaria de delegar. Ele a assiste com a feição dura, assumindo uma postura firme para ensiná-la uma lição enquanto ela se ajoelha a sua frente e devolve o seu olhar com desejo espelhado em suas íris. Ela o toca com uma sutileza que não combina com a situação, deixa claro que está apenas o provocando quando desliza lentamente com a ponta da sua língua por toda a sua extensão, o provando devagar. dança com a boca na cabeça do pau do , apenas para se afastar em seguida e correr com a língua pelos seus próprios lábios, saboreando seu gosto. Ele aperta a boca em uma linha descontente e dá um grunhido irritado, fechando ainda mais a sua expressão enquanto aperta seus dedos nos cabelos da loira e a puxa rudemente, fazendo-a engolir o seu membro. Ela continua devolvendo o seu olhar enquanto começa a chupá-lo com gosto, apertando seus lábios ao seu redor e sugando a cabeça inchada da sua ereção com vontade, correndo suas unhas pela coxa à mostra do ex-militar.
Ele a observa com a testa franzida, sua boca aberta guardando grunhidos e gemidos silenciosos enquanto ele a devora com os olhos, apreciando a forma como seu membro entra e sai em seus lábios cheios. Ele puxa seus cabelos um pouco mais forte quando percebe a baba da loira escorrer por sua extensão, a fitando duro enquanto a repreende.


Lambe.

Ela ri em resposta ao comando, mas o atende sem pestanejar. Passa a língua da base até a cabeça, sugando todo o resquício da sua saliva deixada pelo caminho em seguida. parece ter o suficiente, a erguendo em um gesto grosseiro e sentando-a em uma das mesas da piscina. Ele rasga o decote do seu vestido enquanto ela observa seu ataque com luxúria, se deliciando com a sensação de ser tão desejada. o abraça com as pernas enquanto ele aperta seus seios em mãos cheias, sem perder tempo antes de afastar o material do seu sutiã e abocanhar seu bico arrepiado, o sugando esfomeado. Sua boca ainda continua a envolvendo enquanto ele enfia a mão por baixo do resto dos panos do seu vestido e arrasta a sua calcinha, se livrando de qualquer material que os separasse. geme alto quando lhe invade com dois dedos, se afastando apenas o suficiente para manter as pernas da mais nova bem abertas enquanto a assiste se dilatar ao seu redor. Seus movimentos são firmes e rápidos, deixando a boceta dela ainda mais avermelhada e inchada. Ela segura firmemente em seus ombros enquanto seu corpo treme e se sobressalta de acordo com o toque bruto do homem que a tomava rudemente, assistindo-a enquanto ela se desfazia à sua frente. Quando ele acaricia seu clitóris irritadiço com o dedão, faz menção de deixar seu tronco cair sobre a mesa, completamente entregue, mas ele não permite que ela complete o movimento. Tira as mãos dela e a segura firme, fazendo-a abrir os olhos e encará-lo excitada.


Eu tenho uma tarefa pra você. Quero que você goze olhando pra mim.

concorda algumas vezes com a cabeça enquanto abre os botões da camisa do , passando suas unhas por seu torço duro e definido enquanto ele segura seu próprio membro, o arrastado contra sua entrada sensível sem preenchê-la verdadeiramente. Ele se delicia ao sentir o mel da loira lambuzar sua rigidez, escorrendo pelo seu pau enquanto ele a observa atentamente, estudando as reações dos seus traços. Ela já parecia impaciente quando, em um único movimento firme e certeiro, ele se enterra fundo dentro dela. Ela abre a boca e parece usar toda a concentração do seu corpo para não fechar os olhos, para continuar encarando-o enquanto ele a invade com força, apertando sua cintura enquanto aumenta a velocidade dos seus movimentos. resolve calar os gemidos altos que escapam pela garganta da mulher com sua própria língua, beijando-a com vontade enquanto se enfia e gira o quadril dentro dela, estimulando cada centímetro da intimidade de . Ela afunda as unhas na nuca do moreno, mordendo a sua boca enquanto se deixa ser tomada, se arrepiando enquanto o bico sensível do seu seio se arrasta contra o tronco definido do seu parceiro. Quando ele escorrega sua língua pelo pescoço dela, ela joga a cabeça para trás e fecha fortemente os olhos, espelhando dor e prazer nos seus traços quando ele começa a mordiscar a pele do seu colo.
Os movimentos de se tornam mais urgentes e geme alto, abrindo os olhos e fitando diretamente a câmera enquanto se aproxima de um orgasmo intenso. E esse veio, forte e longo, fazendo-a gritar e apertar as pernas ao redor do tronco de enquanto se entrega aos tremores intensos do seu corpo, sem tirar os olhos da câmera. Ele arrasta suas mãos grandes e grosseiras para o quadril dela, a segura firme enquanto continua invadi-la sem dó, passando a encarar a intimidade avermelhada de enquanto seu membro a preenche. E é apertando firmemente as coxas da loira, mantendo-a arreganhada para seus movimentos bruscos, que ele goza. Se derrama dentro da mais nova enquanto ela joga suas costas contra a mesa, extasiada.


Eu mandei você gozar olhando pra mim.

ri e tenta inutilmente ajeitar os panos rasgados do seu vestido, mas acaba por desistir e apenas penteia seus fios desgrenhados com os dedos. Observa se vestindo com diversão espelhada em seus olhos.


O que posso dizer? Sou rebelde.


INT. SAUNA - NOITE
parece um pouco irritada quando entra na sauna e percebe que todos os outros participantes estão ali, conversando e rindo sentados nos bancos. Incomodada por constatar que não poderia ter um tempo sozinha ali, ela gira os calcanhares e faz menção de sair, mas é interrompida por uma voz masculina.


Onde está indo?

Ela franze a testa e se volta para seus companheiros, percebendo que todos notaram a sua presença agora.


Eu não quis interromper.


Tem lugar para mais um aqui.

respira fundo e encara a morena, cruzando os braços de forma emburrada. A maioria dos participantes sabia que ela não era fã da bissexual, inclusive a própria. Mas parecia apreciar isso, encarando como um desafio, não como um insulto.


Principalmente para uma delicinha como você.

A garota abre a boca, surpresa pela audácia da mais velha.


Não fale assim comigo, eu não curto mulheres.


Tem medo de gostar?

As bochechas de ficam vermelhas e ela parece sem graça, sentindo todos acompanharem a conversa com interesse nítido.


Não precisa ter medo… Eu não mordo.


Eu não tenho medo de você.


Não tem?

Ela pergunta, a encarando de forma cética. sacode a cabeça em resposta e tenta transparecer uma confiança que não possui, arrancando risos baixos de e , sentados no canto. passa a língua nos lábios e morde sua boca antes de concluir.


Prove.

parece desconfortável quando a morena se levanta e começa a andar vagarosamente em sua direção, fitando-a de modo provocante. Ela para bem a sua frente, a olhando de um jeito desafiador e sobrancelhas erguidas. olha em volta, engolindo em seco enquanto todos os participantes observam a cena atentamente. ergue uma das mãos e acaricia desde o colo até o estômago da garota nervosa, correndo seu toque devagar e sorrindo satisfeita quando percebe que ela se arrepiou inteira. estreita os olhos para o seu sorriso convencido e isso parece funcionar como o empurrão final para que ela tome coragem de aceitar aquele desafio. Todos na sauna parecem ficar animados quando embrenha sua mão nos cabelos escuros de e a puxa em direção ao seu rosto. Ela dá apenas um selinho e se afasta, passando a língua sobre seus lábios, como se estivesse provando o sabor de , ainda se mantendo próxima. A morena sorri do experimento da mais nova e a dá um segundo para processar aquela sensação antes de voltar a beijá-la, dessa vez permitindo que sua língua adentre na boca de .
A inexperiência da garota em beijar uma mulher é clara, mas ela parece saborear a novidade, parece gostar do que está descobrindo enquanto divide seu gosto com . A mais velha a guia satisfeita, deslizando sua mão pelo seu corpo magro e a acariciando intimamente, deixando-a mais à vontade. morde o lábio de quando sente a mão feminina desfazendo o nó do seu biquíni, um toque mais suave e delicado do que ela estava acostumada. sorri quando finalmente deixa os seios da garota à mostra, seus bicos arrepiados e irritadiços quando foram acariciados pelos seus dedos finos.
Parecendo inspirados, e começam a correr as mãos um pelo outro, ambos assistindo a cena das duas mulheres enquanto se tocam. O loiro sobe sua mão pela perna de e brinca com o limite da parte de baixo do seu biquíni, enquanto ela, mais ousada, já dá apertões atrevidos sobre o volume da sua sunga. Quando geme baixinho em resposta ao beliscão que deu em seu bico sensível, recebendo beijos úmidos da mulher em seu pescoço, escorrega sua mão para dentro da sua bermuda e tira sua ereção grossa para fora, correndo seus dedos ásperos por si mesmo enquanto assiste mais um beijo molhado e longo entre as duas.
se levanta e se posiciona atrás de , a abraçando e apertando seus seios enquanto desce uma das mãos e a enfia dentro da calcinha do biquíni da mais nova. O sobressalto de a força para trás, fazendo-a se esfregar na ereção de enquanto um gemido mal contido escapa por sua garganta. parece cansar do seu próprio toque e resolve entrar no meio, se aproximando de e alojando seu membro entre as bandas da sua bunda, começando a se esfregar contra o material úmido da calcinha do biquíni da morena e beijando o seu pescoço lentamente.
parece em êxtase enquanto sente as mãos femininas de e as bem masculinas de por todo o seu corpo. Ela arfa quando olha para o lado e percebe que e estão de beijando, a mulher em cima do loiro enquanto rebola sobre sua ereção ainda coberta.
intensifica os movimentos contra a intimidade da garota e ela não consegue mais aguentar, joga seu corpo para trás enquanto se entrega a um orgasmo intenso, se entregando de vez aos braços fortes de ao seu redor.
deixa de se esfregar em e puxa a mão da morena de dentro da calcinha da , guiando a mão da mulher em direção a sua boca e chupando o líquido que escorria entre seus dedos com vontade. olha para trás e o encara com olhos nublados, apreciando enquanto o ex militar suga seus dedos, faminto. mal tem tempo de se recuperar e já está sentada no colo de , que tira o resto do seu biquíni sem demora e tira seu membro inchado e duro para fora, fazendo-a se sentar em cima sem cerimônias. A garota geme alto, surpreendida enquanto o mais velho a força a subir e descer, sentando-a com força sobre seu pau. Ele segura firme o quadril da garota, a movendo com intensidade enquanto grunhe satisfeito, avermelhando aos poucos a intimidade dela com seus movimentos bruscos. Ela aperta os olhos com força e geme alto, jogando a cabeça para trás quando começa a sugar seus seios.
Do outro lado, está em uma posição parecida, mas é ela quem domina . Ela beija o loiro com excitação enquanto rebola com vontade sobre o pau longo do rapaz, que se afunda inteiramente sobre sua intimidade molhada. Ele passa seus braços sobre suas costas e a abraça, fazendo com que seus seios suados se arrastem contra seu peitoral. Ela finca suas unhas contra o braço dele e lhe lambe a boca antes de aumentar a velocidade das suas sentadas.
está com a mão enfiada entre as pernas de enquanto a força contra a parede, a morena arfa e rebola sobre os dedos longos do seu parceiro, estremecendo quando ele acaricia seu clitóris inchado com o dedão. Ele ri, mas o sorriso some dos seus lábios quando aperta sua ereção com força em sua mão. Dessa vez é ela que se diverte com a expressão sofrida de , passando a língua sobre seus lábios antes de aproximá-los da orelha dele.


Quer fazer igual a eles?

Fala baixo, se referindo a posição similar dos outros casais. ri e nega com a cabeça.


Eu já tenho meus planos para você.

Dito isso, ele tira a morena da parede e a força a ficar de quatro, arrancado um sorriso divertido de quando se ajoelha atrás dela. Ele arranca o biquíni dela e se enterra sem aviso, preenchendo sua a boceta encharcada até o fundo e forçando-a a se dilatar ao redor do seu membro grosso. Ela geme alto, empinando sua bunda quando ele começa a estocar brutamente, agarrando sua cintura fina e jogando a cabeça para trás, se aproveitando da sensação de rasgá-la por dentro.
Os barulhos de corpos de chocando, sussurros de palavras safadas, gemidos e grunhidos tomam conta da sauna, ecoando entre as paredes. Todos estão suados e parecem ter dificuldade para respirar, mas continuam a encenar a cena depravada. é o primeiro a gozar, seu grunhido rouco escapa por sua boca quando se senta uma última vez sobre seu membro, forte, rebolando vagarosamente em seguida. Ela estremece nos braços do loiro, mas não parece gostar muito dos beijos carinhosos que ele dá em seu pescoço logo em seguida.
é o próximo, apertando o quadril de e se enterrando até o talo enquanto se liberta, forçando a garota a se manter sentada e senti-lo no mais fundo do seu corpo enquanto se derrama dentro dela. Quando ele finalmente se retira da sua pequena entrada sensível, a mais nova grunhe, não parecendo completamente satisfeita.
percebe que a garota não gozou e faz esforço para conseguir falar.


Me leva... Até ela...

Ela sopra entre as estocadas de , apertando as mãos com força e falando palavras desconexas enquanto tenta se concentrar.


O quê?

Ele pergunta sem deixar de invadi-la, ainda apertando seu quadril e dando tapas esfomeados sobre sua bunda enquanto a fode por trás.


Ela não... Gozou...

Ela tenta explicar, grunhindo alto quando finalmente a entende e a levanta, tentando não sair de dentro dela enquanto os guia em direção a garota. Seu membro longo e grosso chega a escorregar da boceta de , mas assim que ele a posiciona no chão novamente, volta a se enfiar completamente dentro dela, voltando a se mover.
sente seu corpo balançar enquanto permanece de quatro, mas agora apoiando em seus braços. Ela se aproveita que se levantou e deixou sentada no banco sozinha para abrir as pernas da garota, que a olha perdida.


Chega mais perto, garotinha.

Ela consegue dizer, parecendo fazer esforço para não gozar entre as investidas firmes de . parece nervosa quando abre mais as pernas e se aproxima do limite do banco, deixando que alcance sua intimidade lambuzada pelo gozo de .
A mais nova arfa quando sente a língua da morena torturando seu clitóris, se arrastando pela sua entrada e escorregando para dentro dela. Ela leva uma das mãos a própria boca para tentar censurar seus gemidos e a observa atentamente, ainda tomando por trás.
geme contra a boceta inchada e sensível de quando não consegue mais segurar e goza no pau de , se apertando e tentando o moreno a se entregar também. Ele goza olhando para , estremecendo enquanto ela devolve o seu olhar e se sente derreter na boca de . Quando a morena fecha os lábios ao redor do seu clitóris ela também se arrepia e tem tremeliques, fechando os olhos tendo um orgasmo na língua da mulher entre as suas pernas.
Demora um tempo até que todos consigam dizer alguma coisa, parecendo ter dificuldades para respirar devido ao clima absurdo daquela sauna. Mas quando finalmente parecem voltar à vida, tudo o que eles conseguem fazer é rir.


Então... O que acham de Pelmeni pro jantar?


INT. CASSINO - NOITE
e adentram no cassino do navio, assobiando e olhando em volta, parecendo admirados pelo luxo da decoração.


Esse lugar é incrível, consegue acreditar nisso?


Eu não consigo acreditar em metade das coisas que já aconteceram nesse cruzeiro.

ri e adentra mais no salão, correndo suas mãos pelas caça níqueis e roletas enquanto a segue vagarosamente, deixando que ela ande a sua frente, para que possa correr os olhos pelo corpo esbelto da mais nova. Ela morde o lábio, de costas para ele, sentindo o interesse que estava despertando e parecendo satisfeita quanto a isso.


Então… Já tem alguma ideia de qual é o seu par ideal no meio dessa loucura?

Ela pergunta em um falso tom casual, espiando pelo ombro enquanto ele parece distraído, manuseando um baralho abandonado em uma das mesas de poker.


Eu não tenho certeza ainda… E você?

Ela para em frente a um dos canos de pole dance, repuxando seus lábios em um sorriso de canto sujo antes de subir os poucos degraus necessários para poder tocá-lo. Ela espia com rabo de olho, que ainda parece bem entretido com as cartas em sua mão. Aproveitando da sua distração, ela se vira de frente para ele e começa a descer as alças do vestido pelos seus ombros, o observando atentamente enquanto tira a própria roupa vagarosamente, deixando que o tecido escorregue sem pressa por sua pele clara.


Na verdade, eu acho que sei muito bem.

Ele respira fundo e olha em sua direção apenas por um segundo, sem dar muita atenção, porém arregala os olhos e volta a encará-la imediatamente, passando a fitá-la sem ao menos piscar quando a percebe completamente nua, apenas de salto alto, mordendo um sorriso safado enquanto repousa suas costas contra o cano frio atrás de si. Ele abre a boca, pego de surpresa, congelado enquanto corre seus olhos por cada centímetro do corpo da morena. Ela suspira, se arrepiando ao sentir a devorar com os olhos, apreciando ser observada e desejada.
Uma música lenta sorrateiramente começa a tocar no cassino, deixando-a ainda mais excitada, por saber que ela não estava sendo assistida apenas por , mas sim, por todos os expectadores e produção, que sempre estava atenta para criar um clima quando necessário. Ela passa a língua nos lábios e permite que seu quadril acompanhe o ritmo sensual e quente da música, jamais tirando os olhos do loiro, que permanece sem reação.
Ela desliza seus dedos pelo cano enquanto dá a volta no mesmo, dando uma visão privilegiada do seu corpo definido. Suas curvas nuas se enroscam e se esfregam contra o apoio enquanto ela rebola sem pressa, seus seios arrepiados e irritadiços enquanto seus longos fios de cabelo se arrastam por sua pele. Ela dança, rebola e gira lentamente, com um talento de uma profissional, jogando seus cabelos e ondulando o seu corpo de forma impecável. Ele engole em seco quando ela dança vagarosamente até o chão, deixando que o cano se arraste entre as suas coxas, tampando a visão da sua intimidade por pouco.


Sabe o que eu acho?

Ela diz enquanto ajeita seus fios e desce lentamente os poucos degraus, seu corpo brilhando em uma leve camada de suor e parecendo atiçar a lambê-la inteira, pois ele passa a língua pelos seus lábios, faminto.


Acho que eu preciso de algo seguro na minha vida.

Diz baixo enquanto se aproxima, seus seios balançando a cada passo calculado que ela dava, hipnotizando o mais velho e o envolvendo de vez em seu tom baixo e soprado. Ele não diz nada, apenas aperta suas mãos suadas enquanto ela se aproxima como uma predadora, exalando confiança e sensualidade de uma forma que, definitivamente, um pai solteiro sem grandes emoções na vida não estava acostumado. Ela para bem a sua frente, correndo seus olhos claros pelos traços masculinos do loiro antes de morder o lábio e concluir.


E você precisa de um pouco de perigo.

engole em seco e respira fundo quando percebe a mão da morena em seu peito, subindo por sua camisa vagarosamente. Sua respiração sutilmente acelerada entregava a adrenalina que percorria o seu corpo. Sua feição gritava que sim, talvez ela tivesse razão, talvez fosse dela que ele precisava.


Você concorda comigo?

Ela pergunta baixo, o olhando em expectativa. Apesar de toda pose de superioridade, ela transparece um pouco de nervosismo pela forma como o olha. Talvez se perguntando se uma figura paterna e certa como a de teria espaço em sua vida para alguém tão diferente como ela.


Sim.

Ele sopra, fazendo-a sorrir aliviada. Ela morde o lábio e se aproxima ainda mais, roçando sua boca contra a orelha dele.


Bom… Então o que está esperando? Me fode.

solta todo o ar que consegue antes de finalmente firmar suas mãos no corpo nu de . Ele a puxa contra si e invade sua boca com a língua enquanto a beija de forma necessitada, embrenhando seus dedos nos longos cabelos dela, enquanto sente o corpo suado da morena se arrastar contra o seu. Ela o beija de volta, parecendo apressada a se livrar das roupas de . Ela o corresponde com a mesma vontade enquanto abre os botões da sua camisa, logo correndo suas unhas pelo peitoral do mais velho, enquanto desce seu toque para o zíper da sua calça. Mas antes que ela pudesse descê-lo, interrompe o beijo e a encara excitado antes de virá-la bruscamente, fazendo-a se apoiar na mesa. Ela ri quando ele a força de se debruçar, deitando o seu tronco enquanto suas pernas continuam no chão, equilibradas em seu salto alto.
Ele se ajoelha atrás dela, correndo sua mão por sua bunda carnuda antes de separar bem suas bandas. geme roucamente quando ele traça sua pequena entrada com a língua, saboreando o seu gosto enquanto a lambe devagar. Ele mesmo grunhe satisfeito enquanto a saboreia, enquanto se permite sentir o doce da morena se derreter na sua boca. Ele a mordisca, lambe e chupa até ela estremecer fortemente, se empinando e se forçando contra o rosto do mais velho.


Eu não terminei com você ainda.

O loiro se levanta, terminando de abaixar as suas calças enquanto rebola vagarosamente, o tentando enquanto ainda parecia apreciar os resquícios do seu recém orgasmo. Ele se aproxima e usa uma das mãos para mantê-la com o tronco deitado, empalmando sua cabeça e forçando sua bochecha contra a mesa. Enquanto com a outra ele envolve seu quadril, deixando-a empinada quando ele estoca de uma só vez, se enterrando inteiro dentro dela. arfa alto, suas pernas tremendo e palavras desconexas escapando dos seus lábios quando entra fundo e forte dentro do seu corpo.
Os gemidos de e grunhidos de abafam a música que toca ao fundo, sendo acompanhados pelo som dos corpos se chocando. Ele trinca o maxilar e franze a testa enquanto observa atentamente a forma como o corpo dela se abria para recebê-lo, dilatando ao seu redor e deixando seu membro molhado e escorregadio com o lubrificante natural que escorria dela. Extasiado, ele aumenta ainda mais a velocidade dos seus movimentos e dá tapas incontroláveis na bunda empinada da morena, deixando marcas avermelhadas.
parece se esforçar para manter as pernas firmes. Seu cabelo jogado tampa parte do seu rosto enquanto ela mantém a boca aberta, soltando sons roucos e satisfeitos, que estavam ficando cada vez mais altos. Parecendo apressado, decide escorregar uma das mãos para o meio das pernas dela, encontrando seu clitóris inchado e massageando-o intensamente. Isso é o necessário para que ela finalmente goze, rebolando fortemente e se forçando contra o membro grosso que a tomava por trás. Ele se liberta em uma última estocada forte, se enterrando até o talo dentro de e se permitindo gozar fundo em sua boceta.
Leva um tempo até que ambos consigam se recuperar e finalmente se mover. reclama baixo quando ele retira dela, observando admirado a forma como seu líquido quente escorregava por sua entrada e escorria por suas pernas. Ele a vira de frente, permitindo que ela se levante e passe os braços por seu pescoço, dividindo um beijo longo e calmo.


Eu não sou entediante pra você?

Ele pergunta quando selam o beijo, arrastando suas mãos de um jeito leve pelas costas dela.


Você chama isso de entediante? Não… Acho que eu preciso de algo normal, pra variar.

Os dois riem e começam a se vestir. Ela se afasta para ir até o seu vestido jogado no chão mais à frente quando escuta a voz de atrás de si.


Você está com algumas cartas coladas nos seus…

Ela ri quando percebe a falta do jeito do rapaz. Ele se aproxima e seus olhos ganham um brilho de humor enquanto ele começa a tirar as cartas de baralho que haviam grudado no colo suado da morena.


Perfeito.


Bom, obrigada. Na verdade, eles são naturais.

Ele ri alto e tira todas as cartas, a olhado divertido.


Seu peitos são maravilhosos, mas eu estava falando disso.

gargalha quando percebe as cartas na mão do loiro. Full house.


EXT. POUPA – ENTARDECER
está sentado na ponta de uma espreguiçadeira, os braços apoiados nas pernas e um sorriso ladino enquanto observa o pôr do sol. acaba de sair da hidromassagem mais a frente, depois de ter dormido um sono pesado e ter seus dedos enrugados. Ela percebe a presença do ex-militar por ali e vai até ele.


Por que ninguém me acordou? Eu virei quase uma uva passa ali dentro.


Você estava sonhando tão gostoso que até eu fiquei com dó de te acordar.


Como assim “até você”?


Eu quase não durmo, resultado das noites alerta na Marinha, então eu não tenho qualquer problema em perturbar o sono dos outros. Mas você tinha até um sorriso no rosto... Pareceu covardia atrapalhar.

Ele sinalizou para que ela se sentasse ali também, dando espaço na espreguiçadeira. Ela sentou, um meio sorriso nos lábios.


Com o que você sonhou?


Com a vida que eu pedi a Deus. Um marido rico, duas ou três crianças correndo pela casa, um cachorro e um gato...

riu da simplicidade da garota. Para algumas pessoas a felicidade era tão simples que ele se espantava.


Você tá rindo de mim?


Não, madame, longe de mim.

tinha as mãos levantadas, as palmas para a frente em rendição, e o sorriso gostoso ainda estampando o rosto normalmente severo. o observou por entre os cílios e os olhos semicerrados.


Então qual o motivo da risada?


Eu acho fascinante você conseguir se contentar com tão pouco. Minha vida não foi fácil... Acho que tenho bagagem demais para achar que tudo pode ser simples assim.

A fala do homem era amargurada, e sentiu o coração se comprimir um pouco. Colocou uma mão no joelho dele, apertando em conforto.


Mas pode ser. Você só precisa achar alguém que cuide de você. Alguém com quem você fique confortável e possa ser você mesmo.


E quem ia querer cuidar de um brutamontes danificado como eu?


Bom... Eu não teria qualquer problema em fazer isso.

olha para ela desconfiado, mas os lábios ameaçam se curvar em um sorriso. Ela está vermelha, sentindo-se pequena demais frente ao homem malhado, e descarada demais frente à sua reserva.
Suspirando, ele passa um braço por baixo dos joelhos de e apoia a outra mão na base de suas costas, erguendo-a no colo. A garota solta um gritinho agudo, enlaçando o pescoço dele com força, temendo cair.


, o que você...?


Eu vou te jogar do barco. Você não pode dizer esse tipo de coisa para um coração de pedra como eu e sair ilesa, mocinha.

Ele se aproxima com ela no colo da grade do navio, fingindo que vai largá-la dali, entre risadas. cruza as pernas e se cola inteira nele, o nariz e a boca pressionados contra a bochecha dele, coberta de barba por fazer.


Não! Por favor, não, eu faço qualquer coisa.

Ela implora aos gritos, rindo como uma criança pequena.


Você é muito linda e inteligente, tenho certeza. Consegue pensar em algo que mude minha cabeça.

morde os lábios, o olhando de perto. Sua mão se entrelaça nos cabelos curtos do ex-militar, e ela puxa levemente, safada.


Você é muito gostoso... Acho que eu consigo pensar em uma coisa ou outra.

abre mais um sorriso, cheio de malícia, subindo a mão até quase o seio dela, protegido pelo biquíni miúdo. Ela estremece, arrepiada, e o sorriso dele só alarga. faz o contorno da boca dele com as pontas dos dedos, olhando curiosa sua feição alegre.


Você sabe, eu não costumo sorrir. Nunca. Mas tem algo em você...

a coloca sentada na grade, a bunda apoiada no corrimão, e se enfia sem pedir permissão entre as pernas dela, cobertas só com uma saia curta e rodada.


Você sabe, eu não costumo dar bola para homens perigosos. Eles nunca constituem maridos em potencial, e por isso eu sempre prefiro dar o fora. Mas acho que hoje eu posso abrir uma exceção...

Ela o abraça com as pernas, os tornozelos mantendo o quadril dele junto ao seu. Ambos sorriem e, sem mais uma palavra, suas bocas estão unidas.
Tem paixão e muita entrega no beijo, e uma boa dose de bom humor. chupa o gosto de com necessidade, e ela retribui com mordidas deliciosas e lambidas excitantes. Tomando cuidado para que ela não caia, a tem segura pela bunda, uma mão enfiada em cada banda, mas ao perceber que ela está bem estável, livra uma delas para explorar o restante do corpo delineado da dona de casa. Aperta seus seios com vontade, dança os dedos ásperos pela barriga lisa e os adentra no biquíni, espalmando a intimidade inteira de uma vez.
suspira alto, largando a boca do mais velho momentaneamente para lhe morder a orelha e chupar o pescoço, e ele aproveita para penetrá-la com dois dedos. A mulher passa a gemer sem controle no espaço onde seu ombro forte encontra a clavícula, com pedaços de pele na boca, abafando a voz estridente.
Para ter mais espaço, afasta a calcinha para o lado e volta a penetrá-la, dessa vez com o dedão dançando no clitóris inchado, fazendo a umidade natural dela escorrer pelas lisas.
Sem aguentar mais um segundo, ela agarra o tecido da camiseta dele e puxa para cima, jogando em qualquer lugar próximo à piscina e expondo o abdômen severamente dividido em quadradinhos que pediam língua. Espreme a mão pequena contra cada pedacinho de músculo, perguntando-se se algum dia se daria por satisfeita. Ele era desenhado demais para ser real.
O carinho luxurioso da mulher desperta o animal que existe dentro de , e ele não demora a colocar para fora o membro monstruoso ereto, rodeado de veias saltadas e de cabeça proeminente, e golpeia a boceta da garota com ele.
Uma, duas, cinco vezes, até ela estar rosada e não conseguindo mais manter-se parada. Ela crava as unhas no quadril dele e puxa em sua direção, em um pedido mudo para que ele metesse de uma vez.
Seu pedido é atendido. Em um piscar de olhos, está inteiro dentro dela, a ereção grossa não tendo problemas para percorrer a entrada mais que lubrificada. joga a cabeça para trás, mordendo os próprios lábios, e agora é a vez do homem dedicar-se a deixar marcas no pescoço alvo e delicado.
Eles começam a se mexer em sincronia, ela rebolando como pode e ele investindo fundo, segurando-a pelas coxas. já está pronta para gozar há algum tempo, sente o nó no interior do ventre aquecer e aquecer, e leva a própria mão ao clitóris, acariciando-o mais uma vez em busca de sua liberação. Os beijos de descem de seu pescoço para o ombro e dali para o colo ofegante, mordiscando seus mamilos protuberantes por cima do biquíni.
Ela enfim se libera, lacrimejando para todos os lados, enfiando a boca na do ex-militar para conter um grito que poderia ser ouvido do outro lado do continente.
COm uma gota de suor descendo na testa, se controla, parando os movimentos por alguns segundos para que ela possa se recuperar, distribuindo beijos estalados pela nuca exposta. Quando sente que os tremores passaram, junta ela nos braços e a leva para a espreguiçadeira, sentando-se com a garota no colo.
A posição faz com que ele entre ainda mais dentro dela, e logo está novamente desperta e louca para fazê-lo gozar como ela. Apoiando-se nos ombros largos do homem, ela começa a cavalgá-lo, em um movimento longo e forte, ouvindo o som de suas coxas se batendo cada vez que senta com vontade.
a ajuda com as mãos na sua cintura, fazendo uma pausa para liberar os seios do biquíni, para que possa observá-los se movimentar junto com ela, pulando bem na altura de seus olhos. Ele está hipnotizado e com prazer ocultando até os pensamentos mais obscuros. Acaba por se deitar, um braço curvado atrás da cabeça para conseguir continuar a cravar os olhos de predador no corpo delineado da mais nova, que parece ter disposição para engolir seu pau até a semana que vem.
se debruça sobre ele, distribuindo alguns selinhos na pele úmida do peito musculoso exposto.


Deixa eu cuidar de você...

Mais beijos são deixados no tórax do rapaz, que acaricia os cabelos sedosos dela e revira os olhos, se sentindo ficar perto.
Ela a interrompe um momento, segurando seu quadril há alguma distância do dele, e resolve chocar seus sexos por conta própria, estocando bem rápido, rangendo os dentes com a sensação e admirando o rosto estático dela, com direito a boca aberta e olhos fechados de prazer.
Por fim, se aperta toda contra o membro dele, em mais um orgasmo arrebatador, e ele a segue de perto, liberando-se longamente, o corpo enfim relaxado. A mulher cai sobre o seu peito, exausta, ele faz um carinho calmo em suas costas, molhando a boca seca e controlando a respiração.


Você merece ter todos os seus sonhos realizados, menina...

Sonolenta, ela sobe o rosto para olhá-los nos olhos, e sela um momento incrível à luz do pôr do sol em um último beijo de agradecimento. E então ambos têm um encontro marcado com a inconsciência.


EXT. TORRE DO VIGIA - DIA


Queria saber o que a bela moça faz aqui, sozinha.

está no topo da torre do vigia, encarando todo o mar à sua frente. Está ali há uns bons minutos quando , curioso, resolveu subir a escada de marinheiro e se juntar às curvas esbeltas da loira.
Ao vê-lo se juntar a ela no pequeno espaço em formato de barril, sorri e acena para o homem, antes de voltar a encarar o horizonte, pensativa.


Pensando. Isso aqui logo vai acabar e eu vou voltar à minha mesa, aos meus funcionários e aos meus problemas...


E eu para a minha campanha.

ri e aponta para o mar à sua frente, soltando um suspiro cansado.


Você consegue ver como isso é grande? Meus acionistas querem que a corporação domine o mundo todo. Eu não tenho nem noção do quão grande é o "mundo todo".

anda os poucos centímetros que o afastam da loira e se apoia na beirada ao lado dela, encarando o mar tal como ela estava.


Sabe o que esperam de mim? Que eu mude o mundo todo. Acho que isso é mais difícil que dominar, hein?

solta uma risada leve e despreocupada. Antes que ela perceba, sua cabeça está encostada no ombro do homem ao seu lado e ela parece se sentir confortável com a presença dele.


Eu não acredito que isso vai acabar. Não queria.

A loira suspira e logo está encarando-a, desejoso.


Eu ficaria satisfeito em poder levar algo daqui.


Bom, eu tenho um iate.

ri e a acompanha sem esforço. O braço dele a envolve carinhosamente pela cintura e sua mão espalma no quadril da mulher com desejo.


Me convida. Eu levo o meu pau.

segura a respiração por um breve segundo antes de rir abertamente. Ela desliza uma mão pela barriga do candidato, em direção à sua ereção.


Bem, vamos ver se vale a pena o esforço.

sabe que vale, mas mesmo assim resolve provocar. Sua mão logo alcança o seu intento, acariciando-o por sobre a calça.


Bom o suficiente pra você?

A voz de sai mais grossa que o normal, e deixa-se fechar os olhos por um momento, deliciada. Ela lambe os lábios, prendendo o olhar do candidato, e se aproxima, deixando os corpos se encontrarem.


O tamanho está bom. Agora eu quero saber das suas técnicas orais.


Querida, eu sou político. Você não faz ideia do que a minha língua sabe fazer.

ri do que diz, mas logo o riso se perde em sua garganta, ao sentir a mão de empurrando as alças da blusinha que vestia para baixo e liberando seus seios para o ar marítimo gelado. Ele passa os polegares pela circunferência e ela solta um suspiro, que se transforma em um gemido assim que ele captura um dos seios com sua boca.
Ela, com certeza, tinha uma piada ou duas para fazer sobre ele ser político e ter uma boa lábia, mas as habilidades orais do candidato eram realmente invejáveis e ela se contenta em apenas gemer.


Bom o suficiente?


Querido, se o seu oral for assim, você pode morar no meu iate que eu não vou me importar.

Foi a vez de rir. Entendendo as intenções da mulher, ele encaixa dois dedos dentro do shortinho que ela usava e começa a abaixá-lo enquanto beija os lábios de . O beijo é enlouquecedor e os dois gemem baixinho nos poucos segundos em que seus lábios desgrudam para recuperar a respiração.
O homem logo se desfaz do short de e se abaixa, forçando-a abrir as pernas para ele poder encaixar-se nela. abocanha a frente da vagina de por cima da calcinha amarela que ela usa e ela, gemendo pelo contato desejado, aperta as mãos na beirada da cesta de vigia da embarcação, mas sem muita firmeza. O homem levanta uma de suas pernas, colocando seu joelho por cima do ombro dele. Com uma das mãos livres, a outra ainda na perna de , puxa o tecido rendado da calcinha para o lado e desliza a língua pela recém descoberta virilha molhada de , fazendo com que ela gemesse ainda mais alto do que já gemia.


Gostando, madame?


Ah... Sim... Eu vou... Eu vou...


Mas já?

Ele ri em sua virilha antes de tentar escorregar a língua para a entrada dela, fazendo com que suas pernas se contraíssem ao seu redor.


Cair, querido. Acho que eu vou cair.

espalma a mão na virilha da mulher e esfrega sua extensão com luxúria, enquanto se levanta, postando-se de pé. geme deliciosamente, agradecida pelo carinho sutil depois de um mais intenso.


Talvez seja a hora de te segurar, então?


Hora perfeita.


Não me provoque ou eu não vou te soltar mais.

ri e abre ainda mais as pernas, deixando claro que a intenção dela é provocar. sorri enquanto se desfaz rapidamente da sua bermuda e sua blusa, admirando-a nua, com a blusa embolada na cintura, quase que como o cinto; a pressa tinha impedindo-o de arrancar-lhe aquele pedaço de pano por inteiro.
libera sua ereção da sunga e o provoca, mordendo o lábio e olhando fixamente para o pênis do homem. Ele corta o pouco espaço entre os dois e se enterra dentro da mulher rapidamente, envolvendo-a pela cintura e abocanhando sua orelha. Uma de suas mãos vai para o seio de , capturando-o quase todo em sua posse, fazendo-o soltar um gemido satisfeito e a mulher acompanhá-lo, enquanto finca suas unhas nos ombros dele.


Você gosta assim?

Assim que ela profere as palavras, para de se mover e sua expressão de compenetrado para completamente perdido de prazer.


Ah! Faz de novo?


Assim?


Sim. Ai. Porra!

ri longamente e seu momento de descontração lhe custa caro. recupera a cabeça e o controle e volta e investir contra ela com vontade, empurrando seu corpo cada vez mais para fora da borda. Quando ela goza, logo seguida por ele, sua bunda já está toda para fora do cesto e só então ele a puxa de volta, com as pernas ao redor da cintura dele.


Sempre quis transar num lugar alto assim.

ri da sua confissão e mordisca o lábio inferior da mulher.


Essa porra que você faz com a sua boceta...


Sim, querido. Sempre que quiser.

Ele grunhe em resposta e deixa beijos e mordidas pelo seu queixo e pescoço, enquanto vai se sentando no chão da torre de vigília, com ela esfregando o nariz pelo seu pescoço.


EXT. POUPA DO NAVIO – DIA
MEGARA está em um palanque com o logo do Reality, de frente para os seis participantes: os homens de seu lado esquerdo e as mulheres do direito. Todos eles têm envelopes nas mãos com a resposta que pretendem dar para a pergunta "quem é o seu par ideal". Uma música de suspense toda ao fundo.

MEGARA
Chegou a hora. Vocês tiveram um mês de convivência a bordo do cruzeiro Erotik, tendo todos os tipos de experiências com seus pares e com as outras pessoas. Tenho certeza que boas amizades foram formadas aqui dentro, mas o que interessa aos nossos telespectadores é saber os casais certos também. Antes de me mostrarem seus envelopes, quero lembrar que uma escolha errada aqui não compromete apenas você, mas o seu parceiro, que também deixa de levar o dinheiro para casa. Vocês todos têm certeza de suas decisões?

A câmera dá um close no rosto de cada um dos participantes, que acenam positivamente em resposta.

MEGARA
Ótimo. Vou pedir então que vocês virem uns de frente para os outros.

A tela se divide, mostrando em uma metade os rapazes e na outra as moças, de forma que o telespectador possa acompanhar os nomes e eles também.

MEGARA
Abram... Agora.

Simultaneamente, os envelopes mostram:
: ""
: ""
: ""
: ""
: ""
: ""
Os seis participantes abrem sorrisos satisfeitos, e logo estão se beijando, saudosos.
Uma música alegre toca ao fundo enquanto confetes caem do canhão posicionado atrás da câmera.
MEGARA deixa seu palanque e aproxima-se do enfoque depois de alguns segundos de pura comemoração.

MEGARA
É inédito! Em sete edições do programa, nunca todos os pares se encontraram! Isso nos deixa curiosos para o que virá pela poupa, huh?
Obrigada pela audiência, nos vemos em mais uma edição de Erotik! Tchau!

Transição: A imagem embaça e retorna para o presente.



EXT. POUPA DO NAVIO - PRESENTE, DIA
Em mais um dia ensolarado, a apresentadora aparece com roupas diferentes e um corte de cabelo novo. Esta ventando bastante, mas ela sorri, animada com a perspectiva de uma nova edição inteira pela frente.

MEGARA
Como vocês puderam ver, a Sétima edição nos guardou muitas emoções. Agora, cabe a esses seis novos participantes, o desafio de também encontrar seus pares perfeitos! Eles terão um mês para aproveitar o nosso magnífico Erotik, seu cruzeiro paradisíaco favorito, e cometer todos os erros antes que precisem fazer a coisa certa. Vamos conhecê-los?

A câmera fecha com uma piscada da apresentadora, e a gravação começa a rodar. O primeiro a aparecer é LEON GAUTHIER (26), striper. Ele sorri safado e molha os lábios.

LEON
Eu gosto de quando elas gritam. Significa que tá passando na cabeça delas tudo que meu pau podia estar fazendo.

Em seguida, CHASE DUPONT (23), Cameraman. Está sentado com um tornozelo apoiado no joelho e gesticula intensamente.

CHASE
Eu acho que a arte imita maravilhosamente bem a realidade. E se dá pra gente fazer uma grana de quebra... Por que não?

O último dos rapazes aparece, ALEXANDRE LEBLANC (24), virgem. Encolhido contra o encosto da cadeira, ele observa sério a pessoa que o entrevista, que não aparece na tela.

ALEXANDRE
Não, eu nunca transei antes. Isso é um problema? Não vão me expulsar do navio, né?

A primeira moça é apresentada, MONIQUE BECKER (27), subcelebridade. Suas várias pulseiras fazem barulho enquanto ela enrola os cabeços na ponta do dedo.

MONIQUE
Eu e a fama sempre nos amamos. Eu que escolhi ficar mais longe dos holofotes ultimamente... Mas posso voltar a qualquer momento!

Seguindo, ELLE LAVIGNE (24), nerd. A garota torce as mãos nervosamente, e não consegue segurar direito o olhar.

ELLE
Mas quando vocês dizem paradisíaco, é à paisagem que vocês se referem, ou o que acontece com as pessoas ali dentro também?

Por fim, fechando as apresentações, PIETRA LEFEVRE (25), atriz pornô. A falta de roupas da mulher só a deixa mais confortável, sentada na cadeira meio de lado, com um dos braços apoiado no encosto.

PIETRA
Se não olhou pros meus peitos quando me cumprimenta, eu já fico irritada! Comigo não tem essa hipocrisia não.

A imagem é cortada e a câmera volta a filmar MEGARA, que está sorrindo, animada.

MEGARA
O que será que vem por aí, galera? Fiquem ligados na próxima edição de Erotik e todos a bordo! Tchau, pessoal!

A apresentadora acena para a câmera, que desvia dela e filma o mar aberto enquanto os créditos tomam conta da tela.

FADE OUT





Nota da autora: Olá bebês, filhotes e pitchulicos!! Nós nos divertimos muito escrevendo essa putaria loucura e nos desafiamos a criar algo diferente! Foi extremamente divertido combinar nossa depravação criatividade nessa short e esperamos que vocês tenham gostado! Sabemos que tem um formato diferente, mas intenção era justamente inovar. Queríamos dar um gostinho do que está por vir para uma long quentíssima que estamos planejando com muito carinho para vocês! Então preparem-se e respirem fundo porque logo mais terão mais novidades para compartilharmos com vocês! Sintam-se mordidas, lambidas e apertadas (com todo o respeito) e até a próxima! Beijo gostoso da Leka, Má e Safe. <3